quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Primevera

De longe avisto Ipês coloridos
cobrindo as copas de árvore em flor
trás consigo a primavera
um cheiro doce de amor

Lembranças de ontem e hoje
renascem dentro de mim
saudades do que nunca veio
saudades de amor sem fim

Primavera de vento norte
coisa linda do pago sul
vento norte e mate amargo
regado num céu azul

Pelo pasto o potro relincha
e vacas com cria ao pé
meu Rio Grande, vista linda
com povo de amor e fé

Os campos verdes de esperança brilham
Beijados pelo sol de um campo vasto
Primavera da saudade eterna
dos versos que hoje eu faço.

set 2006

Um comentário:

  1. " Deixe que seus versos estimulem olhos para a vida, pois tudo o que há pordetrás destas cortinas, é tão belo quanto a um rubi ."

    Parabéns Lisi

    ResponderExcluir